quarta-feira, 29 de maio de 2013

Quem foram os gémeos Kray?


Os gémeos Kray twins, Ronnie e Reggie, foram gangsteres famosos que aterrorizaram o East End de Londres durante de 20 anos - nos anos 50 e 60 do século passado. Eles geriam uma organização que se dedicava à "protecção", e estavam envolvidos em comércio de drogas, chantagem e prostituição. Eles disparavam para matar, cortavam pescoços ou causavam danos físicos sérios em quem quer que se atrevesse a oferecer-lhes resistência.

As suas vítimas eram espancadas, as suas casas e lojas eram queimadas, e as suas famílias eram ameaçadas com morte ou violação se alguém se atrevesse a dirigir-se à polícia. Até ao fim, as testemunhas estavam demasiado assustadas para se disponibilizarem para falar; como consequência, era dado às testemunhas anonimidade e uma nova identidade em qualquer outra zona ou mesmo país até que eles fossem chamados para testemunhar contra "A Firma" (nome pelo qual eles eram conhecidos).

O líder do gangue, Ronnie Kray, era um homossexual incorrigível, e o seu irmão Reggie era bissexual. Ambos eram o pior tipo de intimidadores homossexuais e as suas carreiras foram exemplos claros de intimidação por parte de homossexuais. Uma das formas favoritas de Ronnie de castigar as vítimas era o de cortas as suas nádegas com uma lâmina de barbear (o que lhe dava um pervertido sentimento de gratificação).  

Um jornal reportou em 1964 que a Scotland Yard estava a investigar um possível relacionamento entre Ronnie Kray e um MP com o nome de Lord Boothby. A verdade dos factos é que Boothby e muitos outros iam ter com os Krays para que estes os fornecessem rapazes para fins homossexuais. Era normal Ronnie movimentar-se publicamente na companhia dum dos seus "rapazes de estimação".

No ano de 1966, no pub com o nome de Blind Beggar (Whitechapel), George Cornell chamou Ronnie de “fat poof”. O líder do gangue disparou sobre a sua cara. O lema de Ronnie era "Atirem sempre com o propósito de matar. Os mortos não causam distúrbios.

Em 1969 os Krays foram declarados condenados de uma série de assassinatos brutais, e acabaram as suas vidas numa prisão de segurança máxima. Uma reportagem de 1977 revelou:

Ronald Kray continua a ser um homossexual activo e predador, não se importando muito com quem sabe disso.

Outra reportagem descreve a forma como Kray foi encontrado na cama com outro preso.

Não só eles eram homossexuais e bissexuais, como numa confissão bizarra feita antes de morrer, Ronnie afirmou que quando ambos eram adolescentes, os irmãos se haviam envolvido numa relação homossexual incestuosa.

domingo, 26 de maio de 2013

Homossexual Pete Burns diz que "casamento" gay não funciona porque os homens são demasiado predadores

Fonte (Artigo de 2008)

Quando ele exibiu o seu anel de noivado quando se encontrava no sofá com o Richard e a  Judy, a estrela pop Pete Burns revelou a sua felicidade ante a perspectiva de se tornar na mais recente celebridade a casar [sic] com o seu parceito. Mas hoje, passados que estão dez meses após o grande dia, o cantor divorciou-se de Michael Simpson, afirmando que a união civil não funciona, e que ele foi mais feliz quando se encontrava casado com uma mulher.

Pete Burns, que esteve casado com a estilista Lynne Corlett durante 28 anos, disse que os relacionamentos homossexuais são "intervalos comerciais" quando comparados com o "filme inteiro" que é o casamento natural. Ele alegou também que existe demasiada promiscuidade dentro da comunidade homossexual e que isso impede que a união civil prospere.

Burns seguiu o exemplo de Sir Elton John e Matt Lucas ao usar a legislação da união civil para
anunciar publicamente a devoção ao seu amante. Vestido de geisha num kimono, Burns fez o anûncio numa cerimónia realizada em Londres no dia 7 de Abril do ano passado [2006] e afirmou estar "optimista" em relação à sua união civil.

Hoje, ele diz que "aprendi de forma dolorosa que isso [união civil homossexual] é uma anedota de todo o tamanho."

Burns acusou Simpson, de 40 anos, de ser infiel e admitiu que se sentiu desapontado. No entanto, Burns afirmou que muitas duplas homossexuais têm o que se pode chamar de "casamentos abertos" onde os parceiros podem ser infiéis.

Há muita promiscuidade dentro da comunidade homossexual. Não entendo o porquê de assumirem essa união. Quão baixa é a sua auto-estima? Um [dos parceiros] está em Hampstead Heath a ter encontros com homens, enquanto o outro está a contratar rapazes [prostitutos].

Certamente que o casamento acontece quando alguém baixa a âncora e diz "É aqui que vou ficar; tomei a minha decisão e isto é tudo o que eu quero uma vez que já subi e desci no elevador, passei por portas giratórias e agora quero ficar fixo."

Era isto que eu esperava.

Burns acrescenta ainda:

Não sei o que acontece na maioria dos casamentos heterossexuais [ed: os únicos que existem] mas o meu durou 28 anos. No que dependia de mim, esse casamento era para sempre  e teria sido para sempre, mas ela precisava de encontrar a sua própria vida. Ela foi o melhor "marido" que eu alguma vez tive.

Às vezes acontece tu encontrares uma pessoa por quem tu te apaixonas de forma genuína. Nós éramos muito, muito próximos. E não estou a falar da sexualidade mas da pessoa em si.

Desde que o "Civil Partnership Act" entrou em efeito a Dezembro de 2005, 18,000 casamentos [sic] homossexuais foram realizados por toda a Grã-Bretanha.

Burns continua:
Vejo o casamento como um instituição sagrada. Penso também que dois homens são naturalmente predadores. Os relacionamentos homossexuais são intervalos comerciais e não o filme inteiro. 
De todos os relacionamentos que conheço, com a excepção de um ... parece que existe algum tipo de inadaptação emocional, ou narcisismo, onde eles se sentem emocionalmente inadequados e precisam de mais validação - quer seja duma figura paterna ou de alguém que é o espelho de si.  
Não estou a condenar; penso apenas que isto precisa de mais estudo e ajuda.
Burns e a sua banda Dead Or Alive tiveram um número 1 em 1985 intitulado "You Spin Me Round", mas a sua carreira entrou em declínio até que ele fez parte do "Celebrity Big Brother" em 2006.

Burns conheceu Simpson em Soho no ano de 2003, e anunciou o "noivado" no programa "Richard & Judy Show" em 2006 (Channel 4). Durante a semana passada a polícia deu início a uma investigação depois de Burns ter alegado que Simpson o havia agredido em casa, partindo a sua clavícula.

* * * * * * *

Sempre bom quando um membro da comunidade homossexual admite o que todas as pessoas deveriam saber:
1. A união homossexual é uma farsa que não funciona
2. Há muita promiscuidade dentro da comunidade homossexual...

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Nova Zelândia mostra qual é o propósito do "casamento" homossexual

Uma instituição de caridade pró-família da Nova Zelândia foi notificada que perderá o seu estatuto de agência de caridade por ter feito campanha em favor do casamento natural. O país legalizou recentemente o "casamento" homossexual e agora os oficiais avisaram a instituição de caridade ‘Family First NZ’ que ela perderá o seu registo.

O grupo afirma que o gesto é "fortemente politicizado" e é uma tentativa de silenciar aqueles que não concordam com o politicamente correcto. O regulador das caridades da Nova Zelândia afirmou que as crenças do grupo são políticas porque elas "não têm benefício público". 
 
O Partido "Os Verdes", cujos MPs (Membros do Parlamento) votaram de forma unânime em favor do "casamento" homossexual, colocaram-se do lado do grupo. Denise Roche, MP pelos "Verdes", disse que, em nome da democracia, as agências de caridade deveriam ter permissão para tomar parte em movimentos nos quais acreditam.

Bob McCoskrie, Director-Nacional da "Family First NZ", disse:

Esta  é uma decisão altamente politicizada que é uma evidência assustadora de que os grupos que pensam de forma diferente da posição politicamente correcta prevalecente serão vitimizados como forma de os silenciar.

Ele acrescentou ainda:

Sabemos que um país está com problemas quando um grupo familiar, que se dedica a falar, publicar e levar a cabo conferências em torno dos valores familiares, é rotulado de não ser do benefício público, e que é do interesse público que esse grupo seja punido. Parece que é ilegal ter um ponto de vista.

Mas a "Charities Registration Board" determinou que o propósito primário do grupo "Family First" era "promover pontos de vista em torno da vida familiar, promoção essa que é um propósito político uma vez que os pontos de vista não têm benefício público que é auto-evidente segundo o sistema jurídico vigente."

A "Family First NZ" perderá o seu estatuto de instituição de caridade a menos que faça um apelo ao Tribunal Supremo da Nova Zelândia no dia 27 de Maio.

Fonte

sábado, 18 de maio de 2013

O que interessa é que sejam adultos e que haja afectividade

Uma mãe e o seu filho fizeram o impensável: apaixonaram-se um pelo outro e, uma vez que a mãe está grávida de 6 meses, querem agora casar.

Mbereko (40), que ficou viúva há 12 anos atrás, tem coabitado com o seu primeiro filho, Farai Mbereko (23). Ela confirma que está gravida de seis meses e que deciddiu que era melhor "casar" com o filho uma vez que não se quer casar com os irmãos mais novos do falecido marido (que, segundo Betty, lhe estão a cortejar).

Na semana passada Betty causou espanto na aldeia quando afirmou publicamente que tinha um affair com o seu filho, e que o mesmo já durava há 3 anos. Ela disse que  depois de ter investido largas somas de dinheiro na educação de Farai (depois da morte do marido), ela sentiu que ela tinha direito ao seu dinheiro e que mais nenhuma mulher tinha esse direito.

Vejam uma coisa: eu batalhei sozinha para colocar o meu filho na escola e por essa altura não tive a ajuda de ninguém. Agora que vocês observam que o meu filho está a trabalhar, vocês acusam-me de fazer algo de errado. Deixem-me saborear dos frutos do meu suor.

Farai afirmou que estava mais do que preparado para se "casar" com a sua mãe, e que ele pagaria as dívidas matrimoniais (ilobola balance) que o seu pai deixou junto dos avós.

Sei que o meu pai morreu antes de acabar de pagar o preço da noiva, mas eu estou preparado para o pagar. . . . . É bom que se publicite o que está a acontecer uma vez que quero que se saiba que fui eu quem engravidou a minha mãe. De outra forma, eles podem acusá-la de promiscuidade. [ed: Porque não há nada de promíscuo em engravidar a própria mãe]

Mas Nathan Muputirwa, um dos líderes locais, diz:

Não podemos permitir que isto aconteça na nossa aldeia; mashura chaiwo aya (Certamente que isto é um mau presságio). No passado, eles seriam mortos, mas hoje não podemos fazer nada por causa da polícia.

Nathan avisou-os para cancelarem o casamento ou abandonarem a aldeia. Eles escolheram a última opção e abandonaram a aldeia para um local desconhecido.
Direito humano

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Ex-noiva de Jason Collins diz que «não fazia ideia» que o jogador era homossexual

Jason Collins assumiu a sua homossexualidade e, pelos vistos, surpreendeu muita gente. Uma das pessoas que ficou a saber pela imprensa foi Carolyn Moos, namorada do jogador durante oito anos. Os dois chegaram a estar noivos.

Carolyn disse numa entrevista que «não fazia ideia» que Collins era gay e que, uma vez revelado o segredo, é difícil de entender.

«É um assunto muito emotivo para mim como mulher. Investi oito anos num sonho de ter um marido, uma alma gémea e um melhor amigo. Por isso, isto é tudo difícil de perceber», afirmou em declarações ao site TMZ.

Ainda assim, Carolyn Moos deseja tudo de bom para o jogador da NBA: «Tenho muito carinho pelo Jason e só quero o melhor para ele. Quero que Jason seja feliz na sua vida e que permaneça fiel ao que ele verdadeiramente é, por dentro e por fora.»

terça-feira, 14 de maio de 2013

A normalização do homossexualismo prepara o caminho para o incesto?

O advogado que representa o professor universitário acusado de ter prácticas incestuosas com a sua filha de 24 anos questionou o porquê do alegado affair ter sido tornado público.

David Epstein foi acusado de incesto por alegadamente ter tido uma relação consensual com a sua filha durante 3 anos. O professor de ciência politica da Universidade de Columbia, e de 46 anos, alegadamente dormiu com a sua filha entre 2006 a 2009. Epstein, especialista em política americana e direito de voto, é também acusado de trocar mensagens de texto suspeitas com a filha durante o seu relacionamento.

Matthew Galluzzo, advogado de defesa de Epstein, disse que, embora a sua filha tenha sido qualificada de "vítima", ela pode muito bem "ser descrita como cúmplice". Galluzzo acrescentou ainda:

Academicamente falando, nós somos moralmente e justificadamente contra o incesto. Mas ao mesmo tempo, existe um argumento que pode ser feito no caso Suíço onde se deixa de parte aquilo que ocorre dentro da privacidade dos quartos. É perfeitamente aceitável os homossexuais fazerem oque bem entenderem nas suas casas. Como é que este caso difere?

Temos que arranjar uma forma de determinar o porquê dum comportamento [homossexualismo] ser tolerado, mas o outro [incesto] não.

Fonte

* * * * * * *

A lógica do advogado é perfeita: se o que ocorre consentidamente entre adultos é algo fora da jurisdição da lei e, desde logo, tolerável, porque não tolerar o incesto entre adultos? Que métrica é usada para qualificar uma de "normal" e a outra de "imoral"?

Notícias como esta revelam para onde caminha a nossa "moral" sexual, dominada que está pelo relativismo ético.
...

sábado, 11 de maio de 2013

O verdadeiro propósito do movimento homossexual

Por Micah Clark

Mesmo sabendo que existem radicais em todos os movimento, isso não diminui o impacto da admissão da jornalista lésbica Masha Gessen. Num recente programa de rádio Gessen admitiu que os activistas homossexuais mentem quando falam da sua radical agenda politica. Ela afirma que os activistas homossexuais não querem ter acesso à instituição do casamento, mas sim redefini-la e eventualmente eliminá-la.

Isto foi o que ela disse recentemente numa entrevista de rádio:
É absurdamente natural que (os activistas homossexuais) tenham o direito de casar [sic], mas é também absurdamente óbvio que a instituição do casamento não deveria existir. . . Lutar em favor do casamento [sic] homossexual envolve mentir em relação aos planos que temos para o casamento, mal cheguemos lá - porque mentimos quando dizemos que a intituição do casamento não vai mudar, e isso é uma mentira.
A instituição do casamento vai mudar, e tem mesmo que mudar. E digo outra vez, eu acho que nem deveria existir. Para além disso, não gosto de tomar parte na criação de ficção com a minha vida uma vez que não foi com esse propósito que eu "saí do armário" há 30 anos atrás.
Tenho 3 filhos que têm 5 pais, mais ou menos, e não vejo o porquê de não poderem ter 5 pais legalmente. . . . Conheci a minha nova parceira, e ela tinha acabado de ter um bebé, e o pai biológico desse bebé é o meu irmão, e o pai biológico da minha filha é um homem que vive na Rússia, e o meu filho adoptivo considera-o como um pai.
Portanto, os 5 pais dividem-se em grupos de 3 . . . E, sinceramente, eu gostaria de viver debaixo dum sistema legal capaz de aceitar esta realidade, e isso não é compatível com a instituição do casamento.
(Fonte: http://www.abc.net.au/radionational/programs/lifematters/why-get-married/4058506)
Há já algum tempo que os defensores do casamento natural tentam ressalvar que o verdadeiro propósito da agenda homossexual não é a "igualdade no casamento", mas sim a total subversão do casamento e a remoção dos valores tradicionais da sociedade. (Invariavelmente, isto incluirá esforços para silenciar e punir as igrejas que abertamente se mantenham firmes nos sens ensibnos religiosos em torno do casamento e da moral sexual).

Embora poucos homossexualistas tenham sido tão vocais como esta activista lésbica, nós temos vários exemplos que confirmam o seu argumento: sempre que existe a oportunidade de casar [depois da definição de casamento ter sido pervertida de modo a englobar o homossexualismo], quando comparados com os heterossexuais, poucos homossexualistas se dão ao trabalho de "casar". Isto levanta questões em torno da verdadeira necessidade de se subverter o casamento de modo a que os seus benefícios sejam "justamente" extendidos para as duplas homossexuais.

Apenas 12% dos homossexuais holandeses se casam, comparados com 86% dos seus pares heterossexuais. Em 1998 na Califórnia, menos de 20% das duplas homossexuais a viver em regime de coabitação se "casou" quando teve essa possibilidade.  Em contraste, 91% das duplas heterossexuais da Califórnia a viver na mesma casa encontra-se casada.

Claramente, tudo gira em torno duma mudança cultural e da destruição da ética familiar tradicional uma vez que a maior parte dos homossexuais a viver em regime de coabitação não precisa e nem quer casar - embora os activistas tenham planos para alterar de modo radical a instituição do casamento.

Os gays e as lésbicas são livres para viver como eles bem entenderem - nós vivemos numa cultura que rotinamente os aplaude tal como nunca os aplaudiu no passado - mas eles não têm o direito de impor sobre a sociedade a visão e os planos que eles têm para o casamento.



* * * * * * *

Como já dito no passado por várias pessoas, a utilidade do movimento homossexual vem com um prazo de validade. Como se pode ver pelas linhas de cima, o movimento homossexual mente quando diz que quer "igualdade no casamento" uma vez que, dada a escolha, os homossexuais universalmente rejeitam casar. Isto leva-nos a concluir que 1) o movimento homossexual não reflecte os verdadeiros propósitos dos homossexuais, mas sim 2) os propósitos duma elite política esquerdista que deseja ardentemente destruir o NOSSO casamento (mantendo o deles intacto).

Olhar para o "casamento homossexual" como uma arma de subversão social (e não como uma genuína aspiração da comunidade homossexual) faz-nos entender o porquê duma minoria ínfima como os homossexuais ter tanto poder político. Na verdade, não são eles que têm essse poder, mas sim a esquerda militante

Quando falamos do "movimento homossexual", portanto, estamos a falar de esquerdistas que usam o homossexualismo como arma contra o Cristianismo (inimigo número um do Marxismo Cultural), contra a tradição, contra a ética social conservadora, e tudo que joga contra a esquerda política. Isto é importante de se reter sempre que algum conservador se sentir constrangido em levantar argumentos contra o homossexualismo.

A verdade dos factos é que existem muitos homossexuais que se encontram do lado dos conservadores na luta pela preservação da instituição do casamento; portanto o homem ou a mulher que levanta críticas ao "movimento homossexual", pode muito bem ter ao seu lado outros gays a apoiar as suas palavras.

Como dito em cima, este "movimento homossexual", vem com um prazo de validade: isto significa que, como ele nada mais é que uma arma de ataque ao Cristianismo, se por acaso os esquerdistas forem bem sucedidos nas suas ofensivas e na sua neutralização das vozes Cristãs, o "movimento homossexual" perde toda a utilidade para a esquerda militante.

Isto leva-nos a concluir que os homossexuais que, directamente ou indirectamente, dão ao seu apoio ao "movimento homossexual", estão a preparar o caminho para uma futura ditadura da esquerda militante. Essa ditadura pode ter várias facetas, mas nenhuma delas será boa para a sociedade (e em especial para os próprios homossexuais).

video

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Homossexual violou e matou criança de 9 anos

Fonte


O menino João Victor dos Santos, de nove anos foi encontrada morto com sinais de violência na manhã desta Quarta-Feira (03), na praia do Coqueiro em Luís Correia no Piauí. A polícia descobriu que a criança havia saído de casa na noite de Terça-Feira (02) para dormir na casa de um empresário, no Coqueiro da Praia, a convite do caseiro do imóvel, Dárcio Rodrigues dos Santos, de 23 anos.

Dárcio, ao ser interrogado, disse que ingeriu muita bebida alcoólica à noite e não lembra de nada. Ele negou que havia matado a criança. O corpo de João Victor foi encontrado com ferimento profundo no ombro direito e ferimentos leves no rosto e nas costas.

A Polícia Militar do município de Parnaíba (PI) confirmou que o menino João Victor dos Santos, de nove anos, encontrado morto na praia do Coqueiro em Luís Correia, na manhã desta Quarta-Feira (03), foi assassinado e jogado no mar pelo caseiro Dárcio Rodrigues dos Santos, de 23 anos. Roupas da criança foram encontradas no quarto do acusado. As investigações apontam que a criança foi espancada ainda na garagem da residência, onde Dárcio ingeria bebida alcoólica.

Segundo a polícia, Dárcio Rodrigues é homossexual e passou a noite de terça-feira (02) em companhia de João Victor. Ele espancou o menino dentro da casa. Após a agressão, o caseiro arrastou o menino da casa até a praia, pois achava que João estava morto. O acusado estrangulou a criança dentro do mar, mas as águas devolveram o corpo para a areia da praia. 

O corpo da criança foi encontrado com marcas de violência, incluindo feridas no ombro, que teriam sido ocasionadas por mordidas de peixe. Agora, a polícia investiga a tia de João Vitor, que é suspeita de ter aliciado o menor para que o mesmo mantivesse relações sexuais com Dárcio Rodrigues.

Vêr também este link para mais informações.



..

terça-feira, 7 de maio de 2013

Vice-presidente do Parlamento britânico, homossexual assumido, suspeito de violar homens

Nigel Evans, parlamentar conservador inglês, foi esta madrugada detido para se interrogado num caso de violação, tendo horas mais tarde sido libertado sob fiança, de acordo com o jornal inglês "The Guardian".

O vice-presidente da câmara baixa do Parlamento britânico, de 55 anos, é suspeito de ter violado dois homens, com idades a rondar os 20 anos. 

Os crimes terão ocorrido nos últimos quatro anos e na propriedade de Nigel, na aldeia de Pendleton.

"As acusações são absolutamente falsas e eu não compreendo foram feitas, especialmente porque eu visitei como amigo, na semana passada, um dos dois homens que me acusa", disse Nigel Evans à imprensa. 

O parlamentar revelou publicamente a homossexualidade em 2010, é uma das figuras mais importantes do partido de David Cameron no norte de Inglaterra.

"Deputados de todos os espectros políticos expressaram choque depois da detenção de Nigel Evans por suspeita de violação" escreve o "The Guardian".

Segundo a BBC, o primeiro-ministro foi mantido ao corrente da situação.

....

domingo, 5 de maio de 2013

Desconhecido jogador da NBA declara-se viciado no homossexualismo


O apelo foi feito pelo establishment esquerdista: seria importante que alguém do mundo do desporto profissional se declarasse como homossexual. O apelo foi respondido por um jogador de 3ª categoria com o nome de Jason Collins (que este ano tem uma média de 1 ponto por jogo).

Que Collins é ou não um pervertedor da natureza humana é aparentemente irrelevante: o que interessa para o Marxismo Cultural é que a agenda esquerdista recebeu um novo fôlego. Para se ver a importância (para os esquerdistas) deste facto, basta levar em conta que o primeiro presidente americano sodomita já deu a Collins os parabéns:
Horas depois de Collins ter revelado a sua sexualidade num artigo online, Obama entrou em contacto com ele através duma chamada, declarando que estava impressionado pela sua coragem, afirmaram fontes da Casa Branca. . . . E a primeira dama Michelle Obama deixou a sua opinião no Twitter, na 2ª Feira à noite, aplaudindo Collins:
Orgulhosos de ti, Jason Collins! Este é um grande passo em frente para o nosso país. Estamos contigo!” lia-se no tweet, assinado apenas como "mo" - implicando que a primeira dama escreveu pessoalmente esta mensagem.
Um grande passo em frente . . . . rumo a quê, precisamente? Só se for rumo a isto:


A campanha para homossexualizar a cultura é assim tão importante que motive o primeiro presidente homossexual a colocar de parte as partidas de golfe e os eventos de angariação de fundos?

Collins é um agente livre, e não é grande coisa nisso. Evidentemente esta manobra quase de certeza que foi intencional tendo em vista um novo contracto. A equipa que o contractar, apesar da sua óbvia falta de talento desportivo, receberá uma palmada nas costas na forma de relações públicas positivas por parte dos degenerados esquerdistas que controlam os órgãos de informação do mundo ocidental.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Rússia ameaça proibir adopção para países que adoptam "união" gay

A Rússia ameaça modificar os acordos de adopção com os países que autorizam o casamento [sic] entre pessoas do mesmo sexo, afirmou o presidente russo Vladimir Putin, três dias depois da França legalizar o matrimónio [sic] homossexual.

"Considero que temos o direito de fazer modificações. Devemos reagir ao que está acontecendo ao nosso redor", declarou Putin, durante um encontro com deputados em que destacou as "tradições culturais e as normas éticas" da Rússia.

O Parlamento russo provocou polêmica recentemente ao proibir a adopção de crianças russas por famílias americanas. A lei foi aprovada, em parte, como represália por uma legislação relativa aos direitos humanos adotada pelo Congresso americano.

A Rússia descriminalizou o homossexualismo em 1993 e oficialmente o eliminou da lista de transtornos psiquiátricos em 1999. Mas a homofobia ainda é muito forte no país e quase nenhuma personalidade pública admitiu ser gay.

....
Tempos terríveis os nossos onde um dos países que mais luta contra a ditadura gay (no seu país) seja o mesmo país que deu apoio a essa ideologia nos outros países.

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...