quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Morte de homossexual ugandês atribuida ao "discurso ódio" de evangélicos

É-nos informado:
A morte de Kato está a ser associada às palavras de ódio por parte de evangélicos Americanos uma vez que estes lutaram publicamente contra a homossexualidade e os direitos dos homossexuais.
Ainda não foi bem esclarecido quais são os "direitos" de quem resolve inserir os seus apêndices reprodutores na parte final do sistema digestivo de outro homem.
Durante os últimos anos, a homofobia alastrou-se por toda a África, mas especialmente no Uganda onde uma controversa lei anti-homossexualidade propôs a pena de morte para alguns homossexuais.
Curioso que os esquerdistas internacionais estejam tão focados no que se passa em África (chegando ao ponto de interferir com as leis locais como forma de avançar com a "preciosa" sodomia) mas estão totalmente imobilizados com os enforcamentos que se verificam nos países islâmicos.

Reparem também que a lei é contra comportamentos e não contra pessoas. Para se vêr a distinção imaginem o seguinte cenário:

Um homem aproxima-se da entrada de um café com um cigarro na mão e tenciona entrar. Quando já está muito próximo da entrada principal um dos funcionários aproxima-se dele e de forma simpática diz-lhe que é proibido fumar enquanto aponta para o sinal "No Smoking". O cliente pede desculpa, apaga o cigarro e depois entra.

O homem era tão fumador antes de entrar tal como o era depois de entrar, mas como a lei está focada num comportamento (fumar) e não naquilo que a pessoa é (fumador), o cliente pôde entrar livremente no café.

O mesmo se passa com as leis que os africanos tem contra a homossexualidade. O seu foco é contra aqueles que exercitam um comportamento que eles consideram nojento e desprezível, e não contra a pessoa que afirma gostar de tais comportamentos.

O que normalmente se passa é que os esquerdistas confundem "rejeição de um comportamento" com a "rejeição da pessoa que exibe preferência por tal comportamento". Eles fazem isto porque ninguém quer ser chamado de "preconceituoso" quando de outras pessoas se trata. Por isso confundem as duas como se fosse a mesma coisa.

Nós podemos ser contra comportamentos sem ser contra a pessoa, mas os esquerdistas não aceitam isso quando se tratam de comportamentos que eles aprovam.

As evidências sugerem que os evangélicos americanos estiveram envolvidos na composição da tal lei. Em Março de 2009 um evangelista com o nome de organizou uma conferência anti-gay em Kampala. Poucos dias depois, David Bahati, um legislador e amigo pessoal de Lively, introduziu a proposta de lei no Parlamento.
O facto de que o desprezo pelo comportamento homossexual ser normal entre os africanos parece ser um dado ignorado pelos esquerdistas. Não era necessário os evangélicos "trazer" desprezo por tal comportamento para África porque os africanos já desprezam-no - mesmo sem influência evangélica. Claro que os esquerdistas europeus não podem atacar de frente os africanos sem perder toda a sua pose de "politicamente correcto", portanto atacam o seu grupo "preferido": os cristãos brancos americanos.

Aparentemente os homofilicos assumem que toda a população mundial considera "normal" o que eles chamam de normal.


4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Nuno,

    Método Mats:

    - ignorar a influência que os fanáticos religiosos têm em Uganda



    Não sei quem são os "fanáticos religiosos".

    - ignorar que existem homossexuais em África

    Quem é que ignorou que existem homossexuais em África?

    - ignorar que os homosexuais em África não exprimem as suas tendências por medo

    Sim, porque em muitos países africanos a práctica homossexual é um crime. Eles tem que ter medo de fazer actos criminosos.

    - ignorar que esse medo é criado pelos fanáticos religiosos

    Não sei o que são "fanáticos religiosos".

    - ignorar as mensagens de ódio dos fanáticos religiosos

    Vêr resposta anterior.

    - ignorar que os fanáticos religiosos pretendem MATAR

    Idem idem, aspas aspas.

    - ignorar que os fanáticos religiosos pretende MATAR homossexuais

    .......

    - justificar que os comportamentos homossexuais não são aceitáveis porque assim diz na Bíblia

    lol
    "Justificar"? Não preciso de justificar nada. Roubar, matar inocentes, mentir e ter sexo com pessoas do mesmo sexo é pecado.

    Pergunta: qual o motivo de estas pessoas terem sido mortas que não fosse o fanatismo religioso?

    Não sei o que é o "fanatismo", portanto não sei como responder.

    ResponderEliminar
  3. Mdias:

    África é uma realidade diferente da Europa ou América.

    O papel do homem é diferente. A homossexualidade, participar em tarefas domésticas ou ter poucos filhos são vistos como um grave risco à imagem do homem.

    A religião em África está intimamente ligada ao animismo e práticas de feitiçaria difíceis de perceber por nós. Se o missionário fizesse apologia da tolerância com gays, albinos ou pessoas de outras etnias ninguem - fora das elites citadinas - os ia ouvir.

    As religiões ocidentais tem de se adaptar à realidade local. Conseguem introduzir duas divindades no sistema de crenças: Deus e Cristo. Penso que raramente falam do espírito santo.

    Quando o padre ou pastor diz que eles se devem afastar da feitiçaria isso quer dizer que os pode proteger da "má" feitiçaria (a que o prejudica) e fazer "boa" feitiçaria (a que o ajuda ou prejudica os inimigos)

    Repara que a fé das pessoas é muito profunda e mantém-se. No Brasil ou Cuba a Macumba ou Santeria mantém-se mesmo com todas as perseguições.
    Mudam os nomes e o máximo que se consegue é dar nomes cristanizados a divindades milenares....

    Os missionários até são ouvidos se falarem de acordo com as tradições. Temas como a poligamia são evitados porque aí ninguém ouve.

    E não vamos culpar os Mórmons pela poligamia em África, pois não ?

    Por acaso é curioso os Mórmons não terem aproveitado este nicho de mercado.

    ResponderEliminar
  4. Estão sabendo que quem matou foi um "amante" do tal sodomita?

    ResponderEliminar

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto.
6. Não responderás só com links.
7. Não usarás de linguagem profana e grosseira.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.
.......
Os editores do blogue reservam para si o direito humano de remover comentários que não estejam de acordo com o propósito e a política do mesmo.

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...